A maioria de nós sonha com uma vida de aventura, mas nem sempre temos tempo, dinheiro ou as responsabilidades e o medo sempre nos trazem de volta a realidade. Mas, Travis Burke é a prova viva de que a única coisa que precisamos para viver esse sonho é uma caravana, uma câmera e um desejo ardente pela aventura!

ainda-da-tempo-pra-voce-acordar-pra-vida-aventura-blog-usenatureza

O fotógrafo americano viaja em seu “móvel da aventura”, que passou por uma reforma. Antes a van velha de sua avó foi transformada em uma casa totalmente habitável. Ele financia suas viagens através de uma combinação de fotografias, testes de produtos, escrevendo comentários e trabalhos em geral de freelancer.

ainda-da-tempo-pra-voce-acordar-pra-vida-blog-usenatureza

Travis diz que: “Eu realmente espero inspirar as pessoas a sair e explorar seu próprio quintal. Você não precisa planejar férias elaboradas para acabar em uma paisagem bonita e única. Estou constantemente tentando me empurrar para o próximo nível, espero que eu possa criativamente encorajar outros pessoas a fazer o mesmo “. Ele tem viajado por todo os EUA nos últimos dois anos, e quando ele não está em sua casa-móvel, ele está viajando pelo mundo dividindo as impressionantes imagens de suas aventuras.

ainda-da-tempo-pra-voce-acordar-pra-vida-travis-blog-usenatureza

ainda-da-tempo-pra-voce-acordar-pra-vida-viagem-van-blog-usenatureza


O Frying Pan Lake em Waimangu, fica na Nova Zelândia, e é uma das maiores piscinas quentes do mundo. Suas águas chegam a temperaturas que ficam entre 50-60° centígrados durante todo o ano.

uma-das-maiores-piscinas-quentes-naturais-pan-lake-blog-usenatureza

O lago nasceu de uma grande erupção vulcânica em 1886, quando o Monte Tarawera explodiu e formou várias crateras grandes na área. Foi a maior erupção na Nova Zelândia desde a chegada dos europeus.

No vale de Waimangu existe o maior gêiser do mundo, o Waimangu Geyser.

uma-das-maiores-piscinas-quentes-naturais-blog-usenatureza

Frying Pan Lake abrange 38.000 metros quadrados e tem uma profundidade média de 6 metros. Além disso, existem formações delicadas e depósitos minerais coloridos por toda a área do lago.


Na vila Teguidda-n-Tessoumt vivem 50 famílias que supervisionam a histórica produção de sal da região. A vila inteira é marcada por centenas de lagoas e, por conta do deserto do Sahara, o sal não vem do mar, mas é extraído da argila. Os homens retiram a argila, depositando-as em lagoas de decantação. A água salgada é retirada por um calabash (utensílio feito a partir da casca de uma cabaça) e levada para as lagoas de evaporação menores. A função das mulheres é remover os cristais de sal das lagoas de evaporação, e depois limpá-las. As crianças monitoram o processo de secagem. A maior parte do sal, é vendido nos mercados das cidades maiores na orla do deserto. O sal bruto não é usado para o consumo humano, mas como um complemento para a dieta dos animais domésticos.

uma-industria-de-sal-como-voce-nunca-viu-blog-usenatureza

uma-industria-de-sal-como-voce-nunca-viu-sahara-blog-usenatureza

uma-industria-de-sal-como-voce-nunca-viu-teguidda-blog-usenatureza


O Cumulus Studio de arquitetura transformou a estrutura de uma antiga hidrelétrica da Tasmânia, na Austrália, em hotel. Com 12 suítes, The Pumphouse (a casa das bombas), é um edifício de concreto de três andares, originalmente construído para abrigar as turbinas hidráulicas.  Na outra ponta da construção, mais seis suítes, sala de estar e de jantar. O Shorehouse (casa de tarefas) é o prédio que anteriormente acomodava escritórios, manutenção e oficina para as turbinas.

Pump-House-Point-Cumulus-Studio-_dezeen_468_26

Pump-House-Point-Cumulus-Studio-_dezeen_468_16

Pump-House-Point-Cumulus-Studio-_dezeen_468_23

Pump-House-Point-Cumulus-Studio-_dezeen_468_25


...56789...203040...