Na vila Teguidda-n-Tessoumt vivem 50 famílias que supervisionam a histórica produção de sal da região. A vila inteira é marcada por centenas de lagoas e, por conta do deserto do Sahara, o sal não vem do mar, mas é extraído da argila. Os homens retiram a argila, depositando-as em lagoas de decantação. A água salgada é retirada por um calabash (utensílio feito a partir da casca de uma cabaça) e levada para as lagoas de evaporação menores. A função das mulheres é remover os cristais de sal das lagoas de evaporação, e depois limpá-las. As crianças monitoram o processo de secagem. A maior parte do sal, é vendido nos mercados das cidades maiores na orla do deserto. O sal bruto não é usado para o consumo humano, mas como um complemento para a dieta dos animais domésticos.

uma-industria-de-sal-como-voce-nunca-viu-blog-usenatureza

uma-industria-de-sal-como-voce-nunca-viu-sahara-blog-usenatureza

uma-industria-de-sal-como-voce-nunca-viu-teguidda-blog-usenatureza